Tecnologias de fixação elevam a performance dos carros elétricos

Anúncios

Saiba como novas tecnologias de fixação reduzem peso e elevam a performance dos carros elétricos

Por Flávio Silva, CEO da Böllhoff Brasil

De acordo com a Precedence Research, o tamanho do mercado de veículos elétricos foi de US$ 205.58 bilhões em 2022 e deve ultrapassar US$ 1,716.83 bilhões até 2032. À medida que a indústria evolui, novos modelos são introduzidos. Além dos carros, a indústria de veículos elétricos também contempla tratores, equipamentos de construção, barcos, aeronaves, entre outros. O desafio, no entanto, é o de aperfeiçoar o desempenho geral dos veículos continuamente.

Analisando especificamente a bateria, que é um dos itens mais importantes e vitais para os carros elétricos (atualmente de íon de lítio), pode-se dizer que esta peça possui um peso considerável – que soma-se ao peso total do automóvel -, e consequentemente impacta o resultado de autonomia.

Um console de bateria de um automóvel elétrico, por exemplo, pode ter até 12 módulos, contendo 24 unidades células (pilhas), o que chega a representar, em média ¼ do peso do carro – cerca de 250 a 300 kg, para um veículo elétrico médio. Especialistas em engenharia buscam formas de melhorar este cenário, como medida para contribuir para a redução do peso total, elevando a performance dos carros elétricos rumo a sua eficiência geral.

Fixando com porcas rebites vedantes

Os sistemas de fixação também se modernizaram para acompanhar esta tendência, em termos de desenvolvimento, para os mais avançados tipos de materiais usados na produção das baterias em carros elétricos.

Hoje, é possível fixar os consoles da bateria com porcas rebites vedantes, permitindo assim manter uma boa refrigeração e impedindo a entrada de contaminantes externos, tendo como resultado o aumento da vida útil da bateria. A tecnologia habilita ainda o fabricante a produzir uma bateria elétrica mais leve e sustentável, em comparação à bateria a combustão dos veículos tradicionais, pois o processo permite a substituição do aço por alumínio e a eliminação da solda na linha de fabricação.


RELACIONADO:

Km de Vantagens e abastece-aí anunciam promoção em SC

Adicionalmente, esse tipo de fixação para baterias elétricas colabora para a proteção do meio ambiente contra possíveis saídas de contaminantes, principalmente quando este item torna-se não mais utilizável no mercado, requerendo ser descartado ou remanufaturado.

A Böllhoff é um exemplo de empresa que, atendendo aos mais rigorosos requisitos de qualidade de vedação (ISO 20653 IPX7) e automotiva, desenvolveu uma linha específica de porcas rebites com a função de vedação, chamada RIVKLE® Seal Ring. Adicionalmente, a tecnologia de montagem (HSA) desenvolvida pela Böllhoff permite a automação total das linhas de produção com controle e monitoramento de processos para aplicação da porca rebite, proporcionando ganhos significativos de produtividade, agilidade e confiabilidade na aplicação do produto.

Indo além da bateria

Além dos consoles de baterias, as porcas rebites com vedação podem ser aplicadas na produção de compressores de refrigeração e nos módulos eletrônicos para veículos elétricos. A seguir, estão alguns dos ganhos desse processo.

  • No console de baterias, também conhecido como battery tray, limitam a espessura entre o console (bandeja) e o módulo da bateria, reduzindo os compostos térmicos (óleo refrigerante), além de diminuir peso e custos. O uso de porcas rebites vedantes elimina o risco de infiltração, evitando contaminação e formação de incrustações; possibilita a fixação de chapas e perfis de espessura fina em alumínio, com acesso unilateral. Adicionalmente, ao evitar a solda, a utilização de porca rebite vedante beneficia juntas mistas e de múltiplas camadas; fixação do módulo de bateria e a estrutura do carro.

  • Nos compressores de refrigeração, possibilitam a absorção do ruído por vibração.

  • Nos módulos eletrônicos, viabilizam juntas livres de partículas conforme padrão da indústria de semicondutores; mais resistência do alumínio e magnésio; e também a fixação de cabos flexíveis.

Por fim, é importante destacar que o avanço dos sistemas de fixação continuará caminhando lado a lado com as tendências da indústria, apoiando os players para que possam ofertar carros elétricos cada vez mais eficientes e com maior autonomia aos seus consumidores.

Detalhes completo no site Boelhoff

POPULARES